Não perca essa oportunidade! Preencha e receba agora mesmo os preços e detalhes:
Eu li e concordo com os Termos de Uso e a Política de Privacidade

Ligue grátis de qualquer telefone ou celular:

0800 608 2130 11 9-9734-6584

Quais os tratamentos para estrabismo?

Saiba quais são os possíveis tratamentos para estrabismo e veja como contornar esse distúrbio.

O estrabismo é um distúrbio em que os olhos não ficam paralelos. Os pacientes têm dificuldade em focalizar em uma única direção, pois seus olhos não estão devidamente alinhados. É possível que apenas um olho tenha o desvio, ou ainda, que os dois olhos sejam acometidos. O desvio, por sua vez, pode ser para o canto interno do rosto (estrabismo convergente), para as extremidades do rosto (estrabismo divergente), para cima ou para baixo (estrabismo vertical). Para solucionar o problema, existem tratamentos que pode corrigir o desvio e dar ao paciente uma melhor visão, aumentando a sua qualidade de vida.

Quais são os tratamentos para estrabismo?

Os tratamentos para corrigir o estrabismo devem começar o quanto antes. Crianças, quando começam a dar sinais deste problema ocular, devem ser encaminhadas para um oftalmologista a fim de se ter o diagnóstico e a prescrição do tratamento adequado. O tipo de tratamento depende da causa do estrabismo. Por isso, é fundamental a consulta com um especialista.

Sendo assim, dependendo da causa do estrabismo, os tratamentos em crianças podem ser:

  • Uso de óculos de grau, receitado pelo médico oftalmologista, para corrigir a hipermetropia;
  • Uso de tapa-olho no olho bom, incentivando o olho com desvio e obrigando-o a “se exercitar”; o estrabismo existe por causa do desequilíbrio e a falta de sincronia entre os músculos responsáveis pelo movimento dos olhos. Ao tampar a vista boa da criança, a outra, que possui o desvio, se esforçará para compensar a falta de um dos olhos, estimulando o movimento dos músculos responsáveis;
  • Aplicação de toxina botulínica, o famoso Botox. Esse tratamento age proporcionando o relaxamento do músculo contraído e que causa o desvio do olho. Porém, só é indicado para estrabismos de nível leve a médio – níveis mais fortes podem exigir uma reaplicação;
  • Cirurgia de estrabismo. Este tratamento só é indicado caso o distúrbio não seja solucionado com o uso das lentes corretivas. É aplicada a anestesia, que pode ser geral ou local (a depender do paciente), e o cirurgião oftalmologista mexe nos músculos responsáveis e em sua posição, podendo fortalecê-los ou enfraquecê-los, dependendo do tipo do distúrbio.

Apesar de ser raro, é possível que crianças maiores e até adultos adquiram estrabismo devido a traumas ou doenças neurológicas. Nestes casos, o tratamento ainda pode ser feito, porém, como os músculos tornam-se mais rígidos com a idade, o uso de tapa-olho ou óculos de grau já não trarão os resultados esperados. Desta forma, o que resta é a aplicação da toxina botulínica e a cirurgia de estrabismo.

Por que tratar o estrabismo?

O estrabismo não é uma doença assintomática, ou seja, pacientes estrábicos possuem sintomas. Além do aparente desvio ocular, o problema causa visão dupla em alguns casos, dores de cabeça, torcicolo – uma vez que o paciente pode inclinar a cabeça com muita frequência, tentando compensar o desvio – e ainda pode causar a perda total de visão do olho afetado se não tratado adequadamente. Portanto, o tratamento do estrabismo é fundamental para evitar a cegueira do olho afetado e melhorar a visão e a qualidade de vida do paciente.

A Central da Visão possui clínicas afiliadas em diversas cidades do Brasil com cirurgiões de estrabismo. Além disso, a Central da Visão negociou com suas clínicas afiliadas preços mais acessíveis para a consulta e a cirurgia de estrabismo. Para receber os preços clique aqui ou ligue 0800-608-2130.

Importante!

Esse texto busca sensibilizar os pacientes a buscarem tratamento oftalmológico. Só o médico oftalmologista é capaz de diagnosticar e indicar os tratamentos e/ou cirurgias mais indicadas. Texto revisado pela Dra.Bárbara Nazareth Parize Clemente, CRM SP: 169506, Título Especialista (RQE): 74181. Médica oftalmologista graduada pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde / PUC-SP, residência médica no Hospital de Olhos Aparecida, subespecialização pelo Instituto da Visão IPEPO.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, ligue grátis para 0800-608-2130.

Clique e ligue grátis de qualquer celular: Ligue grátis: 0800 608 2130