Não perca essa oportunidade! Preencha e receba agora mesmo os preços e detalhes:
Eu li e concordo com os Termos de Uso e a Política de Privacidade

Ligue já e agende sua consulta:

0800 608 2130 11 9-9734-6584

Pterígio nos olhos: quais são os tratamentos

O pterígio, também chamado “carne de olho”, é muito comum no Brasil. Trata-se de uma doença nos olhos que consiste em uma camada carnosa que cresce na parte branca do olho (esclera), do canto interno, próximo ao nariz, para o centro, podendo chegar até a córnea e a pupila. A doença causada pela ampla exposição a raios solares, vento e poluição pode causar vermelhidão, ardência, coceira, lacrimejamento e até interferir diretamente na visão, gerando dificuldade para enxergar ou focalizar objetos de perto e longe, que é o astigmatismo.

Uma vez que a camada carnosa formada não diminuirá, e não é possível curar o pterígio naturalmente, é ideal tratar o quanto antes, de modo a reduzir os sintomas e evitar o seu agravamento.

Veja abaixo quais são os tratamentos, desde os mais simples até a remoção pela cirurgia de pterígio. É fundamental consultar um médico oftalmologista. Só ele é capaz de diagnosticar o pterígio e recomendar o tratamento mais adequado. Nunca faça tratamentos, use medicamentos ou colírios sem orientação de um oftalmologista.

Colírios anti-inflamatórios e lubrificantes

A utilização de colírios anti-inflamatórios pode aliviar os sintomas do pterígio, como vermelhidão, ardência, lacrimejamento, coceira, incômodo e sensação de areia nos olhos. Mas se atente às prescrições médicas! O uso inadequado de colírios, com o tempo, pode ter efeito contrário, piorando a situação ou gerando outros problemas de visão. Colírios menos agressivos e que tratam o ressecamento são os lubrificantes, também chamados de “lágrimas artificiais”.

Proteja seus olhos

A proteção dos olhos contra os fatores que causam o pterígio é fundamental. Evite permanecer em espaços abertos, onde há ampla incidência de raios solares, ventos e poluição. Utilize óculos de sol de boa qualidade e chapéus para evitar que tais fatores entrem em contato com o olho já inflamado. Principalmente para motoqueiros, é importante o uso da viseira, e para ciclistas, óculos especiais que impeçam o contato do vento com os olhos e o ressecamento.

Cirurgia de pterígio

Em casos mais avançados, em que a membrana já avançou até o centro do olho, atingindo a córnea e até mesmo a visão central do paciente, podendo comprometer a visão, deve ser feita e exérese de pterígio, ou seja, a remoção por cirurgia. Porém, são altos os índices de volta da doença. Por essa razão, tais técnicas vêm sido estudadas e aperfeiçoadas. O método mais recente envolve a retirada do pterígio e o transplante de conjuntiva (membrana que fica sobre a parte branca do olho). Sua fixação se dá por meio de pontos ou até mesmo uma cola cirúrgica.

A cirurgia também é indicada em casos de desconforto estético, em que o paciente não se sente bem com a vermelhidão, que muitas vezes chama a atenção das demais pessoas. As cirurgias costumam ser rápidas, durando cerca de 30 minutos, e com rápida recuperação.

Consulte um oftalmologista

Ao perceber sintomas semelhantes aos do pterígio, não hesite em procurar um oftalmologista. Ele fará o acompanhamento do crescimento do pterígio e lhe recomendará o melhor tratamento ou cirurgia, se for o caso.

A Central da Visão negociou com suas clínicas afiliadas preços mais acessíveis para a consulta e a cirurgia de pterígio. Para receber os preços clique aqui ou ligue 0800-608-2130.

Importante!

Esse texto busca sensibilizar os pacientes a buscarem tratamento oftalmológico. Só o médico oftalmologista é capaz de diagnosticar e indicar os tratamentos e/ou cirurgias mais indicadas. Texto revisado pela Dra.Bárbara Nazareth Parize Clemente, CRM SP: 169506, Título Especialista (RQE): 74181. Médica oftalmologista graduada pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde / PUC-SP, residência médica no Hospital de Olhos Aparecida, subespecialização pelo Instituto da Visão IPEPO.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, ligue grátis para 0800-608-2130.

Ligue grátis: 0800 608 2130