Não perca essa oportunidade! Preencha e receba agora mesmo os preços e detalhes:
Eu li e concordo com os Termos de Uso e a Política de Privacidade

Ligue já e agende sua consulta:

0800 608 2130 11 9-9734-6584

Pterígio nos olhos: exames que você precisa fazer

O profissional indicado para fazer o diagnóstico e a indicação dos exames de pterígio é o oftalmologista. Confira abaixo os exames que normalmente são solicitados.

Mais comum entre pessoas que habitam regiões de climas tropical, seco e quente, o pterígio é uma doença ocular que consiste no crescimento de uma membrana sobre a esclera, que é a parte branca do olho. Embora esse crescimento seja lento, geralmente do canto interno em direção ao centro, o pterígio pode atingir a córnea, alterando sua transparência, resultando em um vista embaçada (leucoma), ou afetando sua curvatura, gerando dificuldade para focalizar objetos (astigmatismo).

Diagnóstico do Pterígio

Em seu estágio inicial, o pterígio é identificado pelo oftalmologista quando se nota um crescimento da conjuntiva, que é a membrana que cobre a parte branca do olho. Semelhante à conjuntiva, esta membrana também possui vasos sanguíneos, o que facilita sua percepção a olho nu.

Além desta observação e dos sintomas relatados pelos pacientes, como coceira, vermelhidão, lacrimejamento e sensação de areia nos olhos, alguns exames são fundamentais para o diagnóstico correto, incluindo os mais básicos, os chamados “de rotina”, que testam a capacidade da visão e medem o grau de óculos.

Veja abaixo como eles são feitos:

Avaliação externa: este exame é o mais básico, feito na própria consulta. Como o nome diz, consiste na avaliação externa do olho, observando fatores como vermelhidão, inchaço, mudanças na lacrimação, entre outros fatores externos.

Exame de refração: o objetivo do exame de refração é testar a acuidade visual, isto é, a capacidade da visão, e medir o grau de óculos do paciente. Para isso, dois aparelhos podem ser utilizados. Um é o autorrefrator, que calcula automaticamente o grau do paciente, e outro é o refrator, muito comum em salas de oftalmologistas. Nestes casos, o aparelho é colocado em frente ao rosto do paciente, de modo que ele veja através do aparelho, e em seguida, o oftalmologista lhe pergunta como está sua visão enquanto troca as lentes do aparelho.

Exame com lâmpada de fenda: neste tipo de exame, o paciente é submetido a uma luz brilhante no olho, que permite que o oftalmologista veja todas as estruturas de seu olho de maneira profunda e com alta resolução. Através do exame com lâmpada de fenda, é possível examinar a conjuntiva e a córnea, e assim, identificar a presença do pterígio e seu estágio, principalmente se já atinge a córnea, afetando a visão do paciente.

Em casos em que o pterígio chega à córnea, prejudicando a visão do portador da doença, a exérese de pterígio é recomendada. Ou ainda, quando a qualidade de vida é afetada pela intensa irritação (coceira, sensação de areia nos olhos) e desconforto estético (vermelhidão, que chama a atenção das pessoas ao redor).

A Central da Visão negociou com suas clínicas afiliadas preços mais acessíveis para a consulta e a cirurgia de pterígio. Para receber os preços clique aqui ou ligue 0800-608-2130.

Importante!

Esse texto busca sensibilizar os pacientes a buscarem tratamento oftalmológico. Só o médico oftalmologista é capaz de diagnosticar e indicar os tratamentos e/ou cirurgias mais indicadas. Texto revisado pela Dra.Bárbara Nazareth Parize Clemente, CRM SP: 169506, Título Especialista (RQE): 74181. Médica oftalmologista graduada pela Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde / PUC-SP, residência médica no Hospital de Olhos Aparecida, subespecialização pelo Instituto da Visão IPEPO.

Caso seja necessária alguma retificação desse conteúdo, por favor, ligue grátis para 0800-608-2130.

Ligue grátis: 0800 608 2130